OVNI

OVNI – objeto visível não identificado / OVNI – unidentified visual object

A primeira casa de um corpo é outro. A primeira barreira de atravessar isso é nascer. Ato de força, coragem e abertura, por isso, chora-se.

OVNI, objeto visível não identificado, traz imagens poéticas de: dobras, casa, útero, concha, ufo, migração. Uma performance sobre a cidade e os corpos que se abrigam nela. Pessoas atravessam oceanos, mares e desertos. Enquanto isso, no território europeu, países constroem campos de refugiados, novos guetos, um não-lugar. Deportações,mortes, sobrevivências.

Já tem muitos anos que vemos imagens chocantes sobre pessoas que atravessam oceanos, mares e desertos, quase nunca por opção, abandonando o seu lar em busca de sobrevivência. Enquanto isso, no território europeu, diversos países constroem campos de refugiados, novos guetos, em que pessoas permanecem em um não-lugar, abrigando tendas em espaços compartilhados forçosamente.

Algumas são mandadas de volta, deportadas, muitas morrem nessas travessias, outras conseguem sobreviver. O futuro das cidades também tem sido um longo campo de debates, em que cada vez mais percebem-se diferentes movimentos entre habitar e deslocar. Além disso, grande parte da população pobre, migrantes e racializada também encontram nessas cidades dificuldades para sua sobrevivência diante de políticas de controle e impasses para os direitos básicos, dentre eles à moradia.

Essa pesquisa artística nasce a partir da inquietação sobre a relação entre o corpo e a casa na experiência pessoal de migrar, em participações como corpo apoio de ocupações urbanas e preocupações com tais questões sociais urgentes.

Seu start aconteceu na residência Corpo Cabana, coordenada por Eva Baudry e Lara Lannoo com Apoio da Rede Move PT no espaço La Déviation em L’estaque/Marseille.

Veja a documentação da Residência feita por Dally Schwarz

La Deviation, Dally Schwarz, 2021

Dally Schwarz foi uma das artistas selecionadas para apresentar uma pesquisa relacionada ao tema “corpo cabana”. A partir do mote da cabana criou um projeto de estar em estúdio com sua única propriedade de momento : uma tenda da decathlon comprada por 20 euros. Permeada por imagens da cidade de sem abrigos em sua barracas, de imagens em sites sobre refugiados em campos precários, sobre seu país (Brasil) com mais e mais pessoas no limite da pobreza, me envolvo neste universo entre o terror e o non sense de quem vê um universo ficcional e muito real e concreto ao mesmo tempo. Apos alguns dias de criacao, convidou Marcos Aganju para colaborar com a criação sonora.

Fotografia: Angélique Rollier

Chamo-a de OVNI, aquilo que quase ninguém vê, somente em imagens ou documentações, quase ninguém acredita, pois não experiencia. Mas, sabemos que existem muitos estudos, teorias e informações secretas do governo sobre, as vezes vemos, mas parece mesmo que está ali como um disco voador, pousado numa calçada, ou estampando imagens sensacionalistas de alguma mídia. OVNI, objeto visual não identificado, traz imagens poéticas de: dobras, casa, espaço, útero, concha, ufo, migração.

Workshop OVNI – Festival (RE)union 22 – Espaço da Pena/ Forum Dança, Lisboa(PT)

Apoio:

Rede More Associação Cultural
Festival Reunion 2022

c.e.m – centro em movimento

Festival Pedras’23

Oficinas do Convento

Dansverkstæði

School of Contemporary Dance and Thoughts 

Publicidade